Imprimir

O que acontece ao longo do tempo aos intervenientes no bullying?

Escrito por David Azevedo ligado . Publicado em Bullying

O que acontece ao longo do tempo aos intervenientes no Bullying?

Não pode haver dúvida de que o fenómeno Bullying se tornou uma preocupação mundial, chamando a atenção dos pesquisadores, educadores, políticos, pais e jovens. Este breve artigo começa com uma olhada no que vemos como consequências a curto prazo do Bullying antes de se debruçar sobre os períodos mais longos de tempo.

Quais são os resultados a curto prazo de Bullying?

O que acontece com as crianças que são maltratadas?

  • Esta lista é extensa e sombria, incluindo ansiedade, solidão, baixa auto-estima, baixa competência social-estima, depressão, sintomas psicossomáticos, retraimento social, abandono escolar, absentismo escolar, baixo rendimento escolar, problemas de saúde física, fugir de casa, uso de álcool e drogas e suicídio.

O que acontece com as crianças agressoras?

  • Os agressores têm sido caracterizadas com sentimentos de raiva, depressão, agressividade, hostilidade, comportamentos hiperactivos,  com pouco interesse na escola. Os riscos para os estudantes que são agressores parecem ser maiores do que os da vítima. As crianças e jovens que frequentemente são agressoras têm uma maior probabilidade de:

  1. Entrar em brigas frequentes

  2. Ser ferido numa luta

  3. Vandalismo

  4. Cometer furtos

  5. Beber álcool

  6. Fumar

  7. Maus resultados académicos

  8. Abandonar a escola

  9. Utilizar armas

  10. Tornar-se um criminoso. Existe um estudo estrangeiro que revelou que 60% daqueles que haviam intimidado tiveram pelo menos uma condenação criminal por volta dos 24,1 anos de idade.

Impacto sobre as testemunhas e assistentes.

  • As crianças podem ser influenciadas indirectamente, por ser testemunhas da violência. Ser testemunha de violência escolar pode aumentar significativamente os sentimentos de vulnerabilidade e os sentimentos de insegurança escolar.

Efeitos a longo prazo do Bullying: Adultos olhando para trás sobre a Infância

- Os pesquisadores têm feito um bom trabalho de descrever as características dos agressores e vítimas a curto prazo. Os pesquisadores interessados na vida adulta têm tentado compreender os efeitos a longo prazo da vitimização de pares, solicitando a adultos que recordassem as suas experiências para ver se essas experiências podem ser conectadas com o nível social e emocional.

  • Memórias de chacotas na infância estão associadas com altas taxas de depressão, ansiedade social, perfeccionismo patológico, e neurose na idade adulta.

  • Parece que ao longo do tempo muitas vítimas relatam uma redução em seus sentimentos feridos (por exemplo, menos tristeza, diminuição da pena).

  • Em suma, o assédio moral na infância é uma experiência altamente marcante e as lembranças desses eventos não mostram nenhuma evidência do esquecimento.

Fontes Patricia McDougall, Shelley Hymel and Tracy Vaillancourt, PhD