Imprimir

Gramática - Os complementos

Escrito por David Azevedo ligado . Publicado em gramática

Gramática - Os complementos

A palavra ou oração que serve para determinar uma expressão chama-se determinante ou complemento:

A laranjeira dá um saboroso fruto.

O Frederico pediu ao Rui que lhe emprestasse um livro.

O determinante, palavra ou expressão que representa a pessoa, coisa ou animal sobre que recai a acção do verbo transitivo chama-se complemento directo:

Pedro cumprimentou João.

O cavalo puxa a carroça.

O pessegueiro dá pêssegos.

Quebrei o vidro.

Pesquei uma truta.

Comprei um galo.

Na 1.ª oração, João é o complemento directo; na 2.ª é — carroça; na 3.ª — pêssegos; na 4.ª — vidro; na 5.ª — truta; na 6.ª — galo. Geralmente, o complemento directo não é precedido de preposição; mas há casos em que o pode ser:

Amai a vossos pais.

O homem puxou do cacete e deu uma paulada no outro.

A lembrança do mal praticado apoquenta aos bons.

Os bons amigos ajudam-se uns aos outros.

O complemento indirecto determina a pessoa ou coisa sobre a qual vai recair indirectamente a acção significada pelo verbo. Esta determinação é feita por meio da preposição a:

Ofereci um ramo à Inês.

Dei o recado ao António.

Só as formas pronominais me, te, se, nos, vos, lhe e lhes servem de complemento indirecto sem preposição:

Ele deu-me um livro.

Dou-te uma caneta.

Entrego-vos a chave.

Trazei-nos as cadeiras.

O complemento indirecto, quando ocorre no princípio da frase, pode repetir-se sob as formas de pronome pessoal lhe, lhes:

Àqueles marotos não lhes dês nada, pois nada merecem.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Enviar Atividades e Recursos

Olá amigos do ensinobasico.com, para enviar fichas e atividades, ou promover ideias e projetos poderá enviar-me um documento através do UP! ou através do email: [email protected] Aguardo a vossa contribuição! Até mais.

Clique para enviar o documento