Aulas ao sábado em debate na Guiné-Bissau resultado da pandemia

Aulas ao sábado em debate na Guiné-Bissau resultado da pandemia

O anúncio feito pelo ministro da educação, Jibrilo Baldé, que aponta que os sábados passam a contar no ano lectivo 2020/2021, como dias lectivos obrigatórios, “é um discurso político que não vincula a ninguém”, protestou ao Capital News, uma fonte do sindicato dos professores.

De acordo com a fonte, “não há nenhuma orientação às direcções das escolas, no sentido de preparar ou constar dos horários, as aulas de sábado”, e acrescentou que em nenhum momento a “introdução” das aulas aos sábados foi discutida com os sindicatos, considerando, por isso, que o discurso do ministro da educação “não passa de política” e que a iniciativa “não tem pernas para andar”.

“Há váriosproblemas ainda por resolver em relação aos professores. Por exemplo, está pendente a questão de subtracção que houve dos salários dos professores, que este governo prometia resolver (devolver) em Março passado, mas que até agora nada fez. Segundo informações disponíveis, os sindicatos dos professores vão realizar uma conferência de imprensa esta quarta-feira, 7 de Outubro, para posicionarem-se sobre o início do ano lectivo, “negando, desde já, a ideia das aulas aos sábados”, disse a fonte.

Segundo o calendário oficial, o ano lectivo 2020/2021 arranca esta segunda-feira 5 de Outubro em todo o território nacional.

Fonte do artigo