Os números negros do ensino à distância em 2020

A revista Sábado divulgou em primeira mão os resultados do inquérito online realizado pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova.

Deixo aqui alguns resultados:

Professores

80% dos professores portugueses do ensino pré-escolar ao secundário indicam como principal desvantagem a falta de interação com os alunos;

61% não adquiriram formação específica para darem aulas neste modelo;

Pioram a transmissão e o acompanhamento dos conteúdos escolares (47%);

Os problemas em conciliar as aulas à distância com outros trabalhos docentes (33,9%);

A gestão da vida familiar (18,2%);

Alunos

Dificuldades de acesso aos computadores e tablets (183 respostas);

No manuseamento de aplicativos e plataformas (153);

Na compreensão dos conteúdos (103);

Nos níveis de motivação (93);

Tele escola

14% dos 900 alunos do agrupamento de escolas D. António de Ataíde (Castanheira do Ribatejo) teve dificuldade em se adaptar à plataforma digital;

13% disse que o equipamento informático era insuficiente para as tarefas;

Mas a larga maioria (95%) valorizou o apoio dos professores;


Fonte do artigo