Etapas do processamento da informação

Etapas do processamento da informação

(Atkins 1968)

As etapas do processamento da informação passam-se a dois níveis, interligados cognitivamente, a codificação e a memorização.

Na codificação os elementos presentes são a atenção, a discriminação, e a categorização.

A atenção é a primeira etapa do processamento da informação, consiste na selecção de diferentes estímulos, preterindo uns em relação a outros. Esta etapa possibilita ao indivíduo focalizar-se em estimulos particulares como acontece, por exemplo, durante a leitura onde a focalização na linha de caracteres impressa é fundamental para a decifração e posterior compreensão do conteúdo.( “continuou a ler?” estava atento!)

A segunda etapa é a discriminação. Esta etapa permite o acesso aos esquemas mentais e a integração da informação em padrões. Um teste na leitura é “De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as lrteas de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma ttaol deorsedm.” portanto os nossos esquemas já identificam a mancha escrita como uma palavra conhecida.

 

A categorização permite a formação de conceitos. Sabemos exactamente que “seleccionar” é um sinónimo de “escolher”, e que ambos os conceitos se referem à acção de adquirir um elemento em relação aos demais elementos.

Na memória intervêm três tipos diferentes, a memória sensorial, a memória a curto-prazo e a memória a longo prazo. A memória sensorial é quase “efémera” no entanto lida com um elevado número de registos, vejamos este teste: “ Qual é a terceira letra que escrevi nesta frase?”. A memória a curto-prazo serve para efectuar registos mais fortes, por exemplo, “Qual é a etapa que está a ser analisada neste parágrafo?, provavelmente acertou graças à sua memória a curto prazo. No entanto se fizer uma pausa agora, for sair com amigos e ver um filme, quando regressar não se lembrará do conteúdo do parágrafo.

Por último, a memória a longo prazo, também designada como memória definitiva, é a mais duradoira, acessamos a ela quando queremos utilizar informação muito marcante e que nos impressionou para o resto das nossas vidas, como por exemplo, o nome do nosso primeiro animal de estimação, o número da porta da nossa casa, assim sucessivamente.

Não referi exaustivamente este tema, penso que faltam ainda explicar os mecanismos dentro de cada etapa, como por exemplo, o papel da repetição das letras, palavras, e frases para o melhoramento dos esquemas da codificação. Muito falta também dizer sobre o “output” como nós exprimimos a informação através da comunicação, quais as suas etapas? É um assunto que gostava de estudar com mais pormenor.